A pescaria dos homens da família

Em maio o maridão foi pescar com meus irmãos e o Rodolfo no Xingu e trouxeram muuuuuuuuuuuitos peixes de lá.
Ontem resolvemos descongelar alguns peixes e fazer uma “peixada” aqui em casa.
Passei o dia preparando os filés de cachara (surubim) para fazer fritos, de petisco.
Fiz, também, 3 corvinas recheadas para o jantar.
O surubim é facílimo de fazer…

Preparei uma salmoura bem concentrada (500 ml de água com 2 colheres, das de sopa, de tempero mineiro) e coloquei os cubos de peixe imersos nessa salmoura por meia hora.
Depois desse tempo, escorri bem, passei os cubos de peixe numa mistura de farinha de trigo e fubá e fritei em óleo quente.
Cerveja gelada e limão são acompanhamentos obrigatórios para esse petisco.
Só não passe da conta na cerveja a ponto de se esquecer de fotografar o jantar!! hahahahahaha

O papo estava tão bom e a cerveja tão gelada que não me lembrei de fotografar a corvina pronta!

A sorte é que tinha fotografado ela antes de ir ao forno.
O mais difícil foi retirar as escamas da corvina. O bom é que tenho uma ajudante de ouro que fez esse trabalho pra mim.
Depois eu temperei com sal, alho e pimentas, 1 colher das de sobremesa de sal para cada quilo de peixe, recheei com farofa de biju, bacon e tomates, besuntei de azeite e enrolei no alumínio juntos com tomates e cebolas picados.

Gente, ficou muito bom!!!!

Confesso que sempre tive um certo preconceito com peixes de água doce, prefiro os peixes do mar, mas perdi completamente o preconceito comendo a corvina e o cachara ontem.
Sem contar que o pescador era o meu amor, né?
Com um pescador desses nenhum o peixe fica ruim!

Ah!!! Para os que não comem peixe, como meu filhote caçula, eu preparei costelinha de porco e carne de sol e mandioca cozida.

Tudo no fogão a lenha!

Uma noite calórica, porém, perfeita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *