Pernil recheado cozido da banha – Comida mineira


Desde que a Juliana Carvalho me contou no post da carne de lata que sua mãe e sua avó fazem pernil recheado na banha eu fiquei salivando!
No sábado eu estava muito corrida e resolvi ir até o açougue para ver se conseguia comprar o pernil já recheado para ganhar tempo na cozinha.
O Carlos, do Vita Carnes, fez o serviço todo; ele não só recheou, como temperou e me entregou prontinho para ir pra panela. Eu só acrescentei vinho e azeite à marinada.
O resultado foi maravilhoso.
E minha casa ficou cheirando à comida de vó o dia todo!
Nos fartamos no almoço e ainda sobrou uma bela porção, que foi guardada na própria banha, para ser devorada nos próximos dias!

São Protetor no Colesterol que me ajude porque sou apaixonada por essas comidas gordurosas!

Para o pernil:

1 peça de pernil sem osso (a minha pesava 3.5k)
800 g de carne de pernil
150 g de bacon em pedaços
alho, tempero completo e pimenta a gosto
linha e barbante para costurar
500 ml de água filtrada
3 colheres, das de sobremesa de tempero completo

Chegando em casa eu acrescentei:

200 ml de vinho tinto seco
50 ml de azeite Hojiblanca da Borges

Para cozinhar:

3 tabletes de banha da Sadia

Como eu já falei, no próprio açougue o Carlos moeu a carne junto com o bacon, o alho e as pimentas e temperou com tempero caseiro. Depois ele recheou o pernil e costurou com barbante e colocou dentro de um saco plástico bem grosso junto com a água e mais tempero.
Chegando em casa eu acrescentei o vinho e o azeite ao tempero do pernil, fechei bem o saco plástico e deixei na geladeira por uma noite.
As 9 da manhã eu retirei o pernil da geladeira e drenei os líquidos.
Deixei o pernil fora da geladeira por 1 hora antes de levar ao fogo. A carne fica bem melhor se não estiver gelada na hora de ir pra panela.
Em uma panela de fundo grosso eu derreti a banha em fogo bem baixinho e acrescentei o pernil. Eu prefiro a banha caseira mas, na falta, uso a da Sadia que quebra bem o galho.
Cozinhei o pernil, sempre no fogo mínimo, por 4 horas, virando a cada meia hora.
Após as 4 horas eu aumentei o fogo e deixei o pernil ficar bem dourado.


Aí foi só fatiar e servir junto com um limão china maravilhoso, mandioca no açafrão, arroz branco e salada de folhas.
Como o pernil pesava mais de 4 k depois de recheado, nós não comemos tudo. Eu guardei o que não foi servido na própria banha, dentro da geladeira, e vou servir daqui uns dias, quando ele vai estar ainda melhor.

Pra quem quiser a ajuda do Carlos na hora de rechear e temperar o pernil é só ligar ou ir até o Vita Carnes.

Vita Carnes
Avenida Cesário Alvin, 1751
Uberlândia – Minas Gerais
(34) 3232-8101 / 3212-0957

21 comentário para “Pernil recheado cozido da banha – Comida mineira

  1. Kris… Não acredito que vc fez!!!
    Estou radiante e até emocionada!
    Estava conversando com minha mãe, e ela disse ter conhecido muito seus pais. Tb, moramos quase vizinhos, vcs na Bueno Brandão e nós na Bernardo Cupertino!
    Mas fala a verdade, essa carne é um arraso!!! Um beijo bem grande!

  2. Juliana, assim que li seu comentário já fiquei imaginando o sabor. Enquanto não comi não sosseguei..

    Como sua mãe se chama? Eu me lembro de muitas pessoas ali de perto da Bueno Brandão. A marmita do meu irmão (www.casadabisa.com.br) é ali pertinho até hoje.

    Beijinhos

  3. amei..adorei esa sua receita e tô levando comigo a receita!!!!..que interessante..deve ficar tudo de bom..só penso no meu colesterol..ele vai subir..kkk..mas..não é todo dia né?parabens…li

  4. Jussara, olá!
    A mandioca no açafrão é outra coisa bem caipira e fácil. Basta cortar em cubinhos, refogar em alho e cebola e um pouquinho de açafrão da terra, acrescentar água e cozinhar até ela ficar macia e o caldo bem cremoso. Fica dos deuses!
    Beijos

  5. Quantas vezes não comemos essa marmita, que é a melhor da cidade!!!
    Minha mãe se chama Idê, mas eles não moram mais ali. Tenho uma vaga lembrança de vcs. Eu e minhas três irmãs, vivíamos pelos quarteirões, de bicicleta.Conheço muito sua cunhada Letícia, nossas mães sempre foram amigas.. Um dia desses agente acaba se conhecendo!
    Beijos!!!

  6. Olá, Marianne!!!
    Eu cresci vendo meus pais na cozinha mas, cozinhar mesmo, foi depois que me casei (18 anos).
    Para limpar o cobre eu uso uma pasta de sal e limão. Para passar a pasta na panela eu uso um limão cortado ao meio. Só isso!!! Ela fica num brilho só. Mas entre no blog Panela de Cobre que está aqui do lado e veja as panelas de cobre do Daniel. É de babar, de tão lindas!

    Beijos

  7. Oi Kris! Hoje estou morando em Jaboticabal, interior de SP, pertinho de Ribeirão Preto.
    Estive aí nesse feriado (e já garanti minha carninha de "bola"), mas com tantas irmãs e sobrinhos, nem pude te dar um alô! Quero muito conhecer a Dani do Cozinha Travessa tb.. Da próxima vez quero encontrar vcs!!! Ah, tb quero levar de presente umas linguiças que tem por aqui, feitas com pernil, queijo e rúcula, vc conhece? Manda um abração pra Letícia e outro pra vc!!!

  8. Kris,
    imagino que deva ter ficado uma loucura de tão bom! Lembro na época da faculdade de ter uma amiga de sala que trazia latas de carne na banha da cidade natal dela…bem no interior de MG…muito bom mesmo!
    Esse pernil ficou lindo!
    Adorei o blog! Beijocas!

  9. Olá Kris, tudo bem?
    Quero fazer essa carne amanhã, mas fiquei com 2 dúvidas: 1ª – durante o cozimento, a panela fica tampada? ou sem tampa?
    2ª – guardo a carne na banha que cozinhei a carne, ou em uma banha "limpa e nova"?

    obrigada!!

    beijos, Silvia.

  10. Olá, Sílvia.
    A panela fica tampada, mas o fogo deve ficar sempre no mínimo, tá?
    A banha que a carne fica guardada é a mesma que foi usada no cozimento.
    Depois me conte como ficou a sua!!

    beijinhos e boa semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *