Festival Gastronômico de Monte Verde e a receita que preparei…

Quem me segue no Facebook sabe que dia 12 eu estaria em Monte Verde para ministrar um workshop…

Workshop que dei no Festival Gastronômico de Monte Verde de 2016, que tinha como tema a Culinária Mineira.
O prato que ensinei e servi foi o Arroz de Costelinha cozido no caldo de feijão preto com tropeiro de feijão preto e um caldinho caipira bem picante. Já ensinei esse prato aqui, lembram?
Foi um prazer e uma honra participar de um Festival tão consagrado e poder mostrar meu trabalho ao lado de Chefs maravilhosos como Sonia Kohen , Elzinha Nunes, Breno Lerner, Mônica Rangel, André Leiras Prujansky e muitos outros…

Acabo de chegar em casa e ainda estou encantada de como fui bem recebida em todos os locais e do carinho das pessoas que participaram do workshop.

A turma que me assistiu é muito  fofa… amei cada pessoa!!! Me deu até vontade de me mudar para Monte Verde.
Morar eu não sei, visitar é certeza! 

Como me esqueci de levar a receita impressa, aqui está, nos mínimos detalhes.
Se alguém tiver dúvida é só avisar!

Obrigada pelo convite para participar do evento e obrigada a todos pelo carinho…

A culinária do Triângulo Mineiro
Arroz de costelinha cozido no caldo de feijão e tropeiro de
feijão preto
 Por Kris Nardini
Para o arroz de costelinha
3 quilos de costelinha de porco magra e bem carnuda cortada
de osso em osso
2 colheres, das de sopa, de óleo
2 colheres, das de sobremesa de tempero mineiro caseiro
3 pimentas tipo bode, picadas
3 cebolas, bem picadas
2 litros e meio do caldo do cozimento do feijão preto
1 quilo e duzentos gramas de arroz agulhinha lavado,
escorrido e descansado por 30 minutos
Sal a gosto
Cheiro verde (salsinha e cebolinha) a gosto para decorar
Pimentas frescas para finalizar
Para o feijão
3 litros e meio de água
1 quilo e duzentos gramas de feijão preto lavado e escorrido
3 dentes de alho inteiros, sem as cascas
1 cebola pequena, inteira e sem a casca
2 folhas de louro
1 colher, das de sobremesa, de tempero mineiro caseiro ou
sal
1 pedaço de pele de bacon
Para o tropeiro
300g de bacon em cubos (use a pele no cozimento do feijão)
1 paio em cubos pequenos
400g de linguiça de pernil de boa qualidade, frita e em
rodelas
O feijão cozido e escorrido
2 colheres, das de sopa, de alho espremido
O óleo que usou para fritar o bacon
Farinha de mandioca tipo biju até dar o ponto (mais ou menos
250g)
Cheiro verde (salsinha e cebolinha) para finalizar
Banana da terra frita e ovos cozidos para decorar


Modo de fazer:
Forre o fundo de uma panela de fundo grosso com o óleo,
junte as costelinhas e salpique o tempero mineiro e as pimentas. Tampe a panela
e leve ao fogo até se formar uma borra da cor de coca cola no fundo da panela.
Não mexa a carne durante esse período, que pode levar até meia hora.

Assim que colocar a carne no fogo, lave bem o feijão e
coloque em uma panela com água fervente. Junte a cebola, os alhos e as folhas
de louro e o tempero e tampe a panela. Deixe a panela no fogo até os grãos
ficarem macios. Pique todos os ingredientes do feijão tropeiro enquanto a carne
e o feijão cozinham.

Assim que a carne dourar, e a borra se formar, mexa cuidadosamente
e mantenha a carne no fogo até todos os pedaços ficarem dourados.  Junte as cebolas picadas e abaixe o fogo.
Cozinhe até a cebola murchar e quase derreter.

Assim que o feijão ficar macio, escorra o caldo e reserve,
mantendo aquecido. Descarte as folhas de louro, os alhos e a cebola que
cozinharam junto com o feijão e coloque os grãos em um tabuleiro, para sair
todo calor e umidade.

Quando a cebola da costelinha derreter e estiver bem
dourada, junte o caldo do cozimento do feijão à panela. Deixe cozinhar até a
costelinha ficar macia.
Quando a costelinha estiver cozida, retire 500ml do caldo do cozimento e reserve para você fazer  caldo caipira.

Em uma frigideira grande, frite os cubos de bacon, retire e
reserve. Faça o mesmo com a linguiça e o paio. Não descarte o óleo que se
soltou do bacon.

Coloque o arroz lavado, escorrido e descansado na panela com
costelinha e acrescente água, se necessário. O caldo deve cobrir e passar 3
dedos acima do arroz. Acerte o sal, tampe a panela e mantenha em fogo médio até
o caldo começar a secar, quando isso acontecer, abaixe o fogo para o mínimo.

 Quando todas as
carnes do tropeiro estiverem fritas e reservadas e o arroz estiver cozinhando
junto com a costelinha, volte à frigideira onde fritou o bacon e as linguiças,
junte o alho espremido a esse óleo do bacon e espere ele ficar da cor de palha.
Junte o feijão bem escorrido e, de preferência frio, e mexa cuidadosamente,
para os grãos não se partirem. Quando os grãos ficarem envoltos na gordura do
bacon e o feijão começar a¨fritar¨, junte a farinha biju. Mexa cuidadosamente
até a farinha ficar levemente crocante. 
Junte metade do bacon e das linguiças ao feijão, tempere com sal,
pimenta bode bem picadinha e cheiro verde e mexa por mais 1 minuto. Desli ?gue o fogo, decore com o restante do
bacon e das linguiças, com ovos cozidos, banana da terra frita e mais cheiro
verde e não tampe a panela até a hora de servir.

Experimente o arroz e veja se está macio, mexa se
necessário, e cozinhe por mais alguns minutos. O ideal é o arroz ficar ao dente
e ainda bem úmido.

Para o caldinho
Pegue aquele caldinho do cozimento da costelinha que você reservou e junte o suco de 4 limões (eu prefiro o limão china (cravo) mas pode usar outro), pimenta ardida a gosto (usei 3 pimentas bode bem picadas), cebola roxa fatiada bem fininho e deixada de molho na água gelada por 3 minutos para tirar a acidez e ficar bem crocante, cheiro verde picado e tempero caseiro até o ponto que você gostar. Misture bem e sirva acompanhando o prato.


Desligue o fogo, decore com cheiro verde e pimentas e sirva
junto com o feijão tropeiro.
Sirva, também, uma boa porção de
couve crua picada bem fininho para ninguém reclamar que o prato é muito pesado,
tá?

Dica da Kris:
Fazer seu tempero caseiro é fácil
e muito útil. Em um vidro bem fechado ele dura até duas semanas. E é um ótimo
presente para dar aos amigos! Coloque em um vidro bem bonito, decore com um
laço de tecido e leve o mimo ao seu amigo, tenho certeza que ele vai adorar.
Essa é a base para todos os outros temperos.

Para 1 k de sal eu processo:
1/2 maço de cheiro verde lavado e bem seco e
picado
1 cebola média, em 4 partes
15 dentes grandes de alho
1 xícara, das de café, de óleo

Basta processar os temperos com o óleo e
misturar ao sal.

Eu divido esse tempero base em 3 porções.
Deixo uma como está, uso pimentas na segunda
porção e açafrão da terra em outra.
Às vezes, deixo uma quarta porção e coloco ervas
desidratadas (alecrim, tomilho, sálvia).

E aqui vai uma foto da turma maravilhosa!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *